Testemunhos

Edição Especial

A Portugal Film Commission aos olhos de quem partilha o dia a dia na promoção e desenvolvimento do setor. Produtoras, entidades parceiras, pontos focais, profissionais do setor do cinema e audiovisual deixam os seus testemunhos sobre a Portugal Film Commission e o processo de Filmar em Portugal.

 

 

As Entidades Regionais são atores privilegiados junto dos diferentes municípios e comunidades intermunicipais, associações e empresários, tendo com a sua experiência um enorme conhecimento do território e das suas sinergias. A Turismo Centro de Portugal é, por isso, um dos pontos focais da Portugal Film Commission, tendo a oportunidade de, regularmente, opinar sobre a estratégia de promoção do país e das regiões, junto de produtoras nacionais e internacionais. E esta relação é fundamental para garantir que há um alinhamento perfeito das missões de ambas as instituições. Com esta divulgação e com a captação de produções cinematográficas, as regiões ganham notoriedade e visibilidade, e beneficiam de um investimento direto (alojamento, restauração, entre outros) e indireto (ver um destino no cinema, TV ou plataforma de streaming gera motivação para visitar esse local). Estes são fatores fundamentais para garantir o desenvolvimento integrado e coeso de Portugal e das suas diferentes regiões. 

Adriana Rodrigues, Turismo do Centro

 

Quando recordo o processo que tivemos de colaboração, tenho vontade de repetir.

Ana Carina, Praça Filmes

 

O trabalho desenvolvido pela Portugal Film Commission tem sido preponderante para o setor, não só pela promoção de Portugal como destino de filmagens, como também por constituir uma oportunidade para a internacionalização dos agentes económicos nacionais – uma das vertentes de atuação da AICEP – nomeadamente, através do Diretório de Entidades, criado para o efeito.

Cristina Góis Amorim, AICEP

 

As member of the European Film Commissions Network – EUFCN, the Portugal Film Commission actively participates to the associations’ initiatives and events, bringing its experience and challenges to the table and learning from other film commissions with enthusiasm and great involvement.

EUFCN – European Film Commissions Network

 

Parceiro fundamental para o Doclisboa e o Nebulae, o espaço de indústria do festival, a Portugal Film Commission contribuiu, e continua a contribuir, para o fortalecimento do cinema português e para a promoção e posicionamento da indústria nacional na indústria internacional.

Glenda Balucani, Doclisboa

 

A nossa parceria com a PFC começou com o desenvolvimento das suas plataformas online com o intuito de promover os objetivos e a reforçar a mensagem pretendida: a Portugal Film Commission e o PIC Portugal, visando a divulgação dos apoios incentivos acordos e missões de prospeção. As sinergias de uma relação profissional depressa se tornaram amigáveis permitindo que, com bastante rigor e simplicidade, fosse escalando para um projeto ímpar em Portugal. Não temos dúvidas que o sucesso da PFC só é possível graças à equipa de projeto que todos os dias potencia as sinergias e a afirmação de Portugal no setor do cinema e audiovisual.

Hugo Ferreira da Silva, Brandtellers

 

A colaboração com a Portugal Film Commission tem sido frutuosa na medida em que tem contribuído para a promoção de uma imagem positiva a nível internacional do património rodoferroviário nacional gerido pela Infraestruturas de Portugal.

Infraestruturas de Portugal

 

Portugal represents a magnificent opportunity for our productions, where we have been able to shoot in some incredibly beautiful and yet still widely unseen locations for Portuguese Series such as Glória and Rabo de Peixe, or some of our most iconic shows like La casa de papel. We are committed to the amazing Portuguese talent and the opportunity to share it with the world.

Isadora Laban, Content Manager for Netflix in Spain and Portugal

 

No dia em que a Portugal Film Commission apareceu no mercado, saltaram-me duas dúvidas essenciais: vai ser nossa concorrente? Vai-nos apoiar? A Portugal Film Commission, mesmo sem saber, veio dar um estímulo para continuarmos a fazer o trabalho a que nos propusemos, mesmo sem qualquer incentivo ou apoio financeiro por parte das entidades culturais, sejam elas governamentais, municipais ou intermunicipais. Ao fim deste tempo, percebi que a sua postura era precisamente a de apoiar as demais Film Commissions, desenvolvendo o seu trabalho sempre lado a lado com a Alentejo e Ribatejo Film Commission, solicitando informações e dando muitas mais, oferecendo-se para levar o nosso trabalho e material promocional às feiras e eventos a que, sozinhos, não conseguiríamos nunca ir. Entre outras coisas. Como por exemplo reuniões conjuntas para debater ideias e ouvir as nossas opiniões, dúvidas e anseios. Sempre numa relação cordial mas franca, com profissionalismo mas de proximidade.

João Antero, Presidente da Alentejo e Ribatejo Film Commission

 

A minha primeira experiência numa grande produção internacional foi na série “Vampire Academy” e no ano seguinte tive a oportunidade de estar envolvido de forma mais profunda no filme “Heart of Stone”.

Na primeira experiência consegui ter noção do que é uma grande produção internacional, onde tudo está extremamente bem segmentado e existem pessoas para cada função.

No segundo caso, confesso que foi mais impactante, a primeira impressão foi a maquete em vídeo extremamente explicita e detalhada, com esse apoio visual conseguimos perspetivar o nosso trabalho de terreno. Quem trabalha em produção sabe os obstáculos que por vezes temos a filmar em Lisboa, não só devido à falta de condições consoante o tipo de projeto, bem como as dificuldades inerentes à própria cidade, refiro-me em alguns casos à não aceitação por parte dos moradores e comerciantes, problemas de estacionamento, esforço inglório em conseguirmos bases de apoio, necessidades básicas e inerentes à própria produção.

Neste enquadramento a disponibilidade e os meios eram outros, várias vezes ouvi a expressão por parte da minha chefia “estás a pensar à portuguesa” porque a nossa realidade muitas vezes obriga-nos a fazer omeletes sem ovos, mas nestas circunstâncias os meios eram extensos e tínhamos todos os ingredientes e utensílios para podermos exercer a nossa função com o máximo de brio, a questão do estacionamento foi bem aceite por comerciante e moradores porque a produção disponibilizava estacionamento em parques privados, o que simplifica o nosso trabalho. Importante também referir a disponibilidade e apoio da Portugal e Lisboa Film Commission, bem como o serviço da Polícia.

De forma geral penso que em ambos os casos conseguimos impressionar devido à nossa capacidade de resposta e qualidade de trabalho, na minha opinião temos bastantes virtudes de trabalho e isso acaba por surpreender como um país tão pequeno tem tanto conhecimento e dotes de trabalho.

Em termos de estrutura e dinâmica, pessoalmente falando gostei imenso de poder trabalhar em projetos desta envergadura, os prazos de trabalho vão de encontro às reais necessidades do projeto, temos tempo para premeditarmos todos os acontecimentos, tempo para informarmos os moradores e comerciantes e apresentarmos as propostas de forma fundamentada, estivemos envolvidos em técnicas e ações nunca antes feitas em Portugal o que de forma indireta acaba por influenciar o nosso conhecimento, que já é vasto e de uma capacidade de sofrimento extrema. Na minha opinião, reforço que é importante lidarmos com este tipo de projetos para que o nosso cinema aos poucos comece a ganhar uma dimensão global de acordo com o nosso potencial. No nosso passado temos histórias riquíssimas que devem ser contadas para todo o mundo, mas por vezes há falta de meios, conhecimento de técnicas e/ ou investimentos por parte das entidades que podem suportar e apoiar este crescimento estruturado.

João Lobão, Departamento de Produção

 

A Direção Regional de Cultura do Norte estabeleceu, com naturalidade, uma estreita relação com a Portugal Film Commission, tendo em vista o reconhecimento nacional e internacional das características distintivas do território do norte de Portugal para as áreas do Cinema e do Audiovisual e procurando, por um lado, abrir possibilidades de trabalho destinadas aos criadores e aos agentes culturais e, por outro, contribuir para a dinamização cultural e económica da região.

O património natural e cultural, monumental e artístico aqui existente, as pessoas e as comunidades que aqui vivem, a atmosfera e a paisagem, a gastronomia, os rituais e as tradições que aqui se encontram geram oportunidades para o cinema e o audiovisual potenciadas pela parceria com a Portugal Film Commission.

Divulgar a região e os seus lugares para servirem de suporte a novas narrativas, interpretações e produções é também desígnio desta Direção Regional que continuará a colaborar para que mais criações possam ser Filmadas a Norte.

Laura Castro, Diretora Regional de Cultura do Norte

 

Filmar em Portugal é difícil.  Cada entidade, câmara municipal ou região tem as suas regras, termos e condições. A PFC provou ser um instrumento de grande utilidade tanto para credibilizar Portugal como destino de filmagens junto dos produtores internacionais, como para guiar e aconselhar os produtores locais a navegar segundo as inúmeras regras  que cada entidade e instituição possui do ponto de vista da sequência de autorizações para filmagens. Provou ser um parceiro ativo , dedicado e atento às  necessidades de uma produção com a escala que a Ready To Shoot teve: “Heart of Stone” para a Netflix.

Margarida Adónis, Ready to Shoot

 

Tenho tido a sorte e o privilégio em trabalhar em projetos nacionais e internacionais dentro do nosso próprio país. O interesse das produtoras internacionais em trabalharem em Portugal, e logo com atores nacionais, é evidente a olho nu. Algumas oportunidades multiplicaram, as aprendizagens também. É visível o trabalho que a Portugal Film Commission tem feito, e nós, atores, agradecemos a possibilidade de mostrar o nosso trabalho para o mundo através de uma iniciativa nacional.

Matamba Joaquim, Ator/Escritor

 

A Portugal Film Commission tem sido um parceiro fundamental na exposição do património português, assim como das localizações privilegiadas dos Hotéis Pestana e das Pousadas de Portugal.

Pestana Hotel Group

 

As Film Commissions são peças estratégicas para o desenvolvimento sustentável dos setores cinematográfico e audiovisual em Portugal. O trabalho desenvolvido pela Portugal Film Commission, ao qual se junta a atuação da Lisboa Film Commission, tem contribuído para o crescimento económico do país e para a criação de empregos, pois da sua atuação resulta, também, a captação de investimento estrangeiro. Diria que trabalhamos com o mesmo propósito de promover e valorizar o património cultural e natural do país, interna e externamente. Aliás, a proximidade de instalações permite que mantenhamos um contacto profissional diário e frequente, o que é uma vantagem para criação e manutenção de sinergias , além de muito agradável, pelo profissionalismo e simpatia da equipa. É expectável, e acima de tudo desejável, que o trabalho que está a ser feito pela Portugal Film Commission e a renovação do Fundo do Turismo e Cinema continuem a atrair novas produções para Portugal, que de outra forma nos passariam ao lado. 

Teresa Loureiro, Lisboa Film Commission

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Imagem gráfica que anuncia Portugal como país em foco nesta edição do mercado.

Portugal está em destaque no Conecta FICTION & ENTERTAINMENT

Fotografia em que se vêm todos os premiados no palco dos Prémios Sophia.

Filmes apoiados pelo Pic Portugal em destaque nos Prémios Sophia

Fotografia de Miguel Gomes a discursar, ao lado de Wim Wenders.

Festival de Cannes: Miguel Gomes sagrou-se melhor realizador com “Grand Tour”

Imagem em que se vêm cinco pessoas de costas, sentadas num banco, a observarem no céu a palma que simboliza o Festival de Cannes.

Oito filmes portugueses vão estar no 77.º Festival de Cannes

Sessão esclareceu critérios de sustentabilidade nos incentivos Pic Portugal

Sessão esclareceu critérios de sustentabilidade nos incentivos Pic Portugal

Fotografia do grupo de participantes no "A Sunday in the Country".

Iniciativa da European Film Academy passou por Portugal